Seção - Conversando com o Especialista

Profissionais da saúde que atuam no combate à covid-19 devem cuidar da saúde mental

Os profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à COVID-19 estão travando uma dura batalha contra o vírus que ataca, ameaça e mantém toda a população refém. Neste tempo de fortes incertezas, esses profissionais ainda precisam saber e conseguir lidar com a pressão, com o estresse, com o distanciamento da família e amigos, acrescido do risco de adoecer. Todos esses fatores acabam por provocar severos problemas de saúde mental.

O psicólogo Doutor Iratan Bezerra Sabóia alerta que os problemas podem ir desde uma ansiedade até uma depressão. Segundo ele, a fragilidade da saúde mental dos profissionais da linha de frente do combate ao coronavírus é ainda maior devido às decisões impactantes que eles são levados a tomar em um curto intervalo de tempo e que podem gerar consequências para a vida dos pacientes.

“As decisões que eles devem tomar têm repercussões muito graves na vida das pessoas. Nós sabemos que, quanto mais estressado e fragilizado emocionalmente, maior é a propensão aos erros de qualquer pessoa. O que pode acontecer de forma imediata, caso não cuidem da saúde mental, o profissional pode errar mais do que ele erraria em qualquer outra situação. Isso é agravado dentro do cenário pandêmico e o resultado pode ser catastrófico para o paciente”. O psicólogo atenta que hoje a sociedade inteira depende dos profissionais de saúde, que vão desde os técnicos de enfermagem até a diretoria. “Essas pessoas estão em contato direto com o vírus. A serenidade emocional dessas pessoas é muito importante para que elas consigam reverter quadros clínicos complicados e tomem decisões acertadas”.

Para ajudar os médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de saúde a passarem por este momento, Iratan Bezerra destaca que existem várias estratégias individuais que podem ser utilizadas. “É importante, para a pessoa que gosta de exercício físico, que tente encaixar alguns minutos de exercício em sua rotina. A atividade física é bem-vinda, pois libera hormônios que causam prazer. Da mesma forma para os que gostam de assistir séries e filmes”. O psicólogo diz que momentos de lazer, mesmo neste período de tensão que estamos vivendo, são importantes para que a cabeça consiga se desligar do trabalho e relaxar um pouco. Ele também indica chamadas de vídeos com os familiares e amigos. “Por mais que não seja uma aproximação física, ela dá a sensação de aproximação psicológica social, sensação de compartilhamento de espaço e de tempo e afasta um pouco da separação que estamos vivendo agora”.

O apoio da família, para Iratan Bezerra, é outro ponto importante para a manutenção da saúde mental dos profissionais da saúde. “A família pode ajudar compartilhando interesses em comum, como assistir a um show, uma série ou um filme juntos. Conversar um pouco sobre o dia ajuda bastante. Também temos que considerar a importância da psicoterapia. Todas as pessoas deviam fazer a psicoterapia, especificamente para os profissionais da saúde neste tempo. É importante que todos tenham acesso. Ter a possibilidade de escuta profissional que não vai julgar seus medos, raivas e angústias é muito importante enquanto uma válvula por onde essa pressão pode sair, o Conselho Federal de Psicologia já regulamentou os atendimento online, que na situação de isolamento é a melhor alternativa”, finaliza.